A HISTÓRIA DO FUTEBOL É UMA TRISTE VIAGEM DO PRAZER AO DEVER

eduardo galeano

Pensei em escrever um texto hoje sobre a chegada das finais nos estaduais. Esbarrei na falta de vontade gerada pelos jogos horríveis, alguns inúteis e arbitragem pior ainda. Tentei fazer um esforço mínimo para concluir o motivo de um Palmeiras x Santos me dar sono, o Grêmio perder a vaga nos pênaltis, o Corinthians e o Fluminense passearem em campo, o São Paulo sofrer, nem ficar sabendo dos resultados de Minas e menos ainda dos do Nordeste, tantos cartões por “atitudes antidesportivas”, etc. A minha conclusão cansada só não é impublicável porque aqui não temos chefe para impedir publicações e pouco estamos nos importando com a moral e bons costumes. Porém, até xingar me deu preguiça. Aí entra Eduardo Galeano com toda a sua elegância para nos salvar. O que pensei em escrever foi exatamente isso:

“A história do futebol é uma triste viagem do prazer ao dever. Ao mesmo tempo em que o esporte se tornou indústria, foi desterrando a beleza que nasce da alegria de jogar só pelo prazer de jogar. Neste mundo do fim de século, o futebol profissional condena o que é inútil, e é inútil o que não é rentável. Ninguém ganha nada com essa loucura que faz com que o homem seja menino por um momento, jogando como o menino que brinca com o balão de gás e como o gato que brinca com o novelo de lã: bailarino que dança com uma bola leve como o balão que sobe ao ar e o novelo que roda, jogando sem saber que joga, sem motivo, sem relógio e sem juiz.

O jogo se transformou em espetáculo, com poucos protagonistas e muitos espectadores, futebol para olhar, e o espetáculo se transformou num dos negócios mais lucrativos do mundo, que não é organizado para ser jogado, mas para impedir que se jogue. A tecnocracia do esporte profissional foi impondo um futebol de pura velocidade e muita força, que renuncia à alegria, atrofia a fantasia e proíbe a ousadia.

Por sorte ainda aparece nos campos, embora muito de vez em quando, algum atrevido que sai do roteiro e comete o disparate de driblar o time adversário inteirinho, além do juiz e do público das arquibancadas, pelo puro prazer do corpo que se lança na proibida aventura da liberdade”.

– Eduardo Galeano (Futebol ao sol e à sombra)

 

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Uncategorized

Uma resposta para “A HISTÓRIA DO FUTEBOL É UMA TRISTE VIAGEM DO PRAZER AO DEVER

  1. é. parece que fudeu de vez mesmo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s