NAZISMO X RESISTÊNCIA

dinamo de kiev

Fonte: http://www.facebook.com/HistoricasImagens

 

A comovente história do Start FC e de seus mártires do “jogo da morte” contra a ocupação nazista.

Em 1941, o exército nazista invade a Ucrânia e em pouco tempo toma a capital Kiev. Internamente, alguns civis tentavam organizar a retomada e enfraquecimento da ocupação alemã, entre eles estava o goleiro do Dinamo de Kiev, Nicolai Trushevich. Sem grande sucesso, em meados de setembro, Trushevich e alguns de seus ex companheiros de time se encontravam famintos e desnutridos. Foi neste momento que o arqueiro foi reconhecido por um padeiro fanático por futebol, o padeiro lhe ofereceu o cargo de servente e um abrigo – este emprego impediu o goleiro de ser mandado para a Alemanha, onde realizaria trabalhos forçados. Logo outros jogadores do Dínamo também foram chamados para trabalhar no local.

Em 1942, como estratégia para ganhar apoio dos ucranianos, os nazistas tentaram normalizar dia após dia a rotina das cidades ocupadas. Para tanto, uma das estratégias que mais angariou público e apoio, foi uma série de jogos amistosos entre times formados por soldados húngaros, romenos, nazistas, e, por fim, algumas equipes ucranianas. Entre os times locais, estaria uma equipe formada por ex jogadores do Dínamo de Kiev, contando com Trushevich e seus companheiros que foram ajudados pelo padeiro; conseguiram montar uma equipe e realizar treinamentos no terreno dos fundos do estabelecimento. O time foi batizado de “Start FC”.

Em seus primeiros jogos, em meados de junho de 1942 os resultados foram animadores, goleadas de 7×2, 9×1, 6×0. Logo os governantes nazistas entenderam que aqueles resultados poderiam criar um problema novo para o regime. Ao final de 1942, após diversas partidas, o Start FC terminou a temporada de forma invicta, e como suspeitavam, as vitórias daquele time acabou se transformando no símbolo do nacionalismo ucraniano, fomentando manifestações nas ruas e elogios da imprensa local.

Para contrapô-los na mesma moeda, os nazistas criaram um time que simbolizaria o nacionalismo alemão, e em consequência, a superioridade racial e técnica dos alemães. O time foi formado por 6 dos melhores jogadores do exército alemão. No confronto entre as equipes, mesmo com uma arbitragem totalmente parcial, o time local venceu por 5×1. No dia seguinte, entre ucranianos orgulhosos e eufóricos, alguns avisos foram colados pela cidade marcando uma “vingança” para o domingo próximo – podemos ver a imagem dos panfletos nesse link (http://en.wikipedia.org/wiki/File:Death_match_bill.jpg).

Chegada a data marcada para a revanche, os times ainda se encontravam no vestiário quando um oficial da SS entrou para falar com os ucranianos. Este recomendou que “não seria interessante que o Start vencesse a partida”, além disso, “esperamos que façam a saudação nazista antes do jogo”.
Equipes perfiladas em campo, o time alemão faz a saudação nazista para os governantes presentes, no entanto, ao contrário do que foi pedido e de forma corajosa, nenhum jogador do Start faz o gesto, causando aplausos eufóricos da torcida local.

Começada a partida, novamente a violência dos alemães ficava evidente, mas também o seu superior vigor físico, e aos 15min abria-se o placar em favor dos nazistas. Em jogo marcado pela virilidade/jogo de força dos nazistas, e técnica/inteligência dos ucranianos, o resultado final foi 5×3 para os locais. Na saída do estádio foi possível ver inúmeras comemorações pelas ruas de Kiev, um jornalista local chegou a afirmar que “os ucranianos ganharam sua maior felicidade naquele verão”.

Porém, semanas depois, alguns jogadores foram chamados na Gestapo. Lá, foram torturados e agredidos durante dias e depois enviados ao temido campo de concentração de Syrets. Em uma noite de frio, foi realizado um sorteio macabro. Soldados nazistas afirmaram que era preciso diminuir a lotação do local, e de forma intercalada alguns seriam escolhidos para viver ou morrer. Entre os mortos estavam, Klimenko, Trushevi e Kuzmenko, os três líderes do Start FC.

Demonstrando coragem, força e patriotismo, esses jogadores enfrentaram a força desproporcional da ocupação nazista através do poder de mobilização e força do futebol. Quando tudo parecia perdido, eles jogaram e mostraram aos seus inimigos que o jogo só acaba quando o juiz apita. Até hoje estes atletas são lembrados pelo Dínamo de Kiev. Na frente de seu estádio existe um monumento erguido em 1971 em homenagem aos atletas que morreram defendendo, antes de tudo, a liberdade e o esporte.

Para saber mais sobre a história, recomendo este excelente documentário da ESPN
http://www.youtube.com/watch?v=e8r3sUWp-P8

Texto de Rafael Gota
Administração Imagens Históricas

Foto: “Futebol & guerra: resistência, triunfo e tragédia do Dínamo na Kiev ocupada pelos nazistas”

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s