A INCOMPETÊNCIA ESCANCARADA

barra

Acabou o Brasileiro 2013 de forma lamentável. Além da fórmula dos pontos corridos ter contribuído para a melancolia, houve uma briga generalizada entre torcedores de Vasco e Atlético/PR. Veremos mais uma sequência de notícias desencontradas, atitudes paliativas e culpados escorregando entre os dedos da dita justiça.

A primeira notícia desencontrada: por que não tinha PM dentro do estádio?

Segundo a própria PM, a segurança interna do estádio estava sendo feita por particulares por conta de uma recomendação do Ministério Público Estadual de Santa Catarina, pois o evento era privado e, portanto, a segurança deveria ser assim também.

O MP/SC desmentiu esta versão, segundo o promotor Francisco de Paula Fernandes Neto: “O Ministério Público não teve nenhuma ingerência sobre o policiamento. Essa ação civil pública, protocolada no dia 2 de dezembro, se destina a ações para os jogos de futebol a partir de 2014. O MP, desde 2008, vem requisitando informações, tecendo orientações, celebrando acordos para compelir o município de Joinville a corrigir falhas estruturais da arena. Uma delas, como foi testemunhado por todo mundo, é a ausência de separação eficiente entre torcidas. Já entramos com duas outras ações civis públicas para compelir o município a cumprir o acordo que não cumpriu em 2009”.

Então por que a PM achou que não tinha que fazer a segurança do lado de dentro? Segundo este mesmo promotor, a PM avaliou que não deveria fazer a segurança interna do estádio e avisou isso ao Atlético.

Depois, saiu a notícia que havia um contrato de locação do estádio entre a Fundação de Esportes de Joinvile e o Atlético, no qual havia uma cláusula de que a segurança deveria ser fornecida pelo clube.

A empresa de segurança contratada afirma que foram requisitados 60 seguranças e que recomendou o aumento do efetivo, mas não foi ouvida. Ao que parece, mais 15 seguranças atuaram dentro do campo, alcançando o número de 75 pessoas para garantir a segurança de 9 mil pessoas.

Isso é amadorismo puro, a responsabilidade pela segurança, fosse da PM ou particular, deveria ter sido promovida pelo Atlético, é o clube o culpado, ou melhor, seus dirigentes.

Como é possível não haver um cordão de isolamento de verdade entre torcidas rivais? Este foi o mesmo questionamento na briga entre torcedores de Corinthians e Vasco. Se não é uma forma proposital de causar tumultos é incompetência latente. É como soltar dois pit bulls raivosos dentro de uma sala e depois bater neles por brigarem entre si.

E se a polícia estivesse lá desde o início, veríamos menos cenas de selvageria? Talvez ninguém estaria chutando a cabeça de ninguém desacordado – não podemos afirmar com certeza -, mas o cenário seria igual ao que vimos entre a PM e torcedores do São Paulo no Morumbi e esta mesma PM e torcedores do Coxa no Canindé. Seria uma violência treinada, acostumada a oprimir e bater com aval do governo, o que geraria uma aceitação maior instantaneamente.

Deixando de lado a briga, o fato é que o Atlético Paranaense meteu 5 x 1 no Vasco, o que o rebaixou pela segunda vez em cinco anos. Do rebaixamento do clube da Colina, passando pelas brigas ocorridas, desencontro de informações e incapacidade dos dirigentes, o que vemos é que a incompetência brasileira transborda. Ela é latente, não tem mais como esconder e não é só no futebol.

Das brigas ao rebaixamento tudo é fruto da incompetência

Das brigas ao rebaixamento tudo é fruto da incompetência

Não somos educados dentro dos estádios porque assim também não somos fora. Existe violência nos estádios porque ela também existe fora. Não vamos virar lordes do dia para a noite e nem essa é a solução. Falamos constantemente em enfrentar de verdade o problema, mas isso nunca vai acontecer. Não é apenas questão de corrupção, de interesses por trás que não permitem a modificação, existe uma bela dose de incompetência aí. Nem quando os poderosos querem eles conseguem fazer as coisas.

O que aconteceu neste fim de semana foi emblemático, resume muito bem o grau de comprometimento de nossas autoridades com os torcedores, o jogo, o campeonato, o estádio.

Poderíamos citar todas as brigas entre torcidas, entre torcida e polícia, a falta de diálogo da CBF com o Bom Senso, a fala medíocre do Aldo Rebelo comparando o atraso do Brasil nas obras da Copa a uma noiva em seu casamento, a falta de estrutura, a falta de segurança, mas tudo isso é chover no molhado. Sabemos a raiz do problema e a incompetência não nos deixa avançar. Tem que punir quem está no poder.

Agora é aguardar o pedido do incompetente Ministério Público de extinção da Fanáticos do Atlético, a mesma coisa acontecer no Rio com a Jovem do Vasco, o inócuo STJD punir os clubes para mandar alguns jogos fora de seus domínios e pronto, tudo ficará igualzinho, sem tirar nem pôr.

Ah sim, mais para frente aguardamos também mais rebaixamentos de clubes grandes por causa da incompetência de seus dirigentes, assim como mais brigas com pessoas feridas pela incompetente polícia.

Para finalizar, aguardaremos também as novas desculpas das autoridades para os novos atrasos das obras da Copa.

Ficamos no aguardo…

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Uncategorized

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s